RSS

Arquivo da tag: profissão

Designer de eBooks: uma nova profissão?

Tenho acompanhado o Fernando Tavares (um dos sócios-fundadores da Simplíssimo) em diversas turmas do workshop Como produzir eBooks no formato ePub. Assim, tenho observado as dúvidas das mais de 60 pessoas que já passaram por lá.

A grande maioria trabalha no mercado editorial, seja com design, produção, coordenação, etc. As questões são muitas, mas uma das que mais chamou a minha atenção foi a questão sobre a profissão do designer de eBooks.
Afinal, essa ocupação é um designer gráfico que adquire conhecimentos de CSS e HTML ou um programador que se volta para o mercado editorial?

Dou minha opinião de designer gráfico que estuda o mercado editorial digital: estamos vendo aqui o nascimento de uma nova profissão, o designer de livros digitais.

Apesar de um designer de livros digitais possuir muitas das características de ambas as profissões que eu citei, não há como negar que essa é uma profissão única e nova.

Quais os requisitos dessa profissão?

Tanto um designer gráfico quanto um webdesigner ou programador podem entrar nesse campo, mas para os dois casos uma especialização será exigida. Listemos aqui as exigências para essa carreira:

  • Bons conhecimentos em InDesign CS5, incluindo tabulação, estilização, diagramação e fechamento em ePub;
  • Tratamento de imagens básico para que o profissional possa saber como salvar imagens nos formatos e tamanhos corretos;
  • Bons conhecimentos em CSS3 e XHTML para o refinamento do arquivo. Nada muito complexo, mas quanto maior o conhecimento, mais valorizado é o profissional;
  • Conhecimentos em formatos de arquivo, para saber diferenças entre ePub, PDF, mobi e outros, sugerindo a melhor aplicação em cada caso;
  • Conhecimentos das plataformas disponíveis para conhecer suas limitações e aplicações (ADE, iPad, Kindle, PD, Alfa, etc…);
  • Atualização constante de todas as novidades do mercado, seja em relação aos formatos como em relação às plataformas, já que esse é um mercado em plena expansão e mudança.

É tão importante assim contratar esse profissional?

Editoras serão altamente recomendadas a possuírem uma equipe específica para a produção dos livros digitais, pois ao contrário do que muitos pensam a conversão (ou produção) de eBooks de qualidade requer tempo. Isso não poderá ser feito entre um trabalho e outro do designer gráfico ou do webdesigner da editora.

Será necessário possuir expertise no assunto para que a qualidade dos arquivos possa ser garantida. Só alguém que possui as características que eu citei acima poderá garantir um bom produto a uma editora.

Como é possível se especializar?

Na internet é possível encontrar toneladas de materiais ensinando tudo a respeito de livros digitais. Mas aqui vão algumas dicas:

Boa sorte!

Anúncios
 
11 Comentários

Publicado por em abril 22, 2011 em mercado de trabalho

 

Tags: , , , , , ,

Gráfica Fidalga – amor pela impressão

Quantas vezes por dia não vemos aqueles cartazes coloridos misturados à sujeira e ao barulho da cidade? Shows de funk, de pagode, de mulheres dançarinas… vemos de todos os tipos, e são tantos que quase já não são mais vistos. Alguns dizem que enfeiam a cidade, já suja e saturada e poluição. Outros tratam o lambe-lambe como expressão de arte, e até colecionam exemplares.

Você já parou para imaginar de onde vêm esses lambe-lambes? Quem faz isso? São peças que parecem ter parado no tempo, que ainda utilizam a mesma tipografia de tantos anos atrás. Apesar dos assuntos que retratam terem se adaptado ao nosso tempo, o papel colorido e fino, a tinta bicolor e as grandes letras esticadas parecem pertencer a todas as épocas.

O vídeo abaixo mostra isso e muito mais sobre esses cartazes. A Gráfica Fidalga fica em São Paulo, e produz pôsteres em uma impressora alemã de 1929, que utiliza letras de madeira entalhadas. Chamado de “lambe lambe,” o fino papel usado nos pôsteres é colado com cola de arroz. Graças à Galeria Choque Cultural, que regularmente produz pôsteres para suas exposições com a  Gráfica Fidalga, eles conseguem sobreviver, mas ainda precisam de ajuda. Caso esteja interessado, contate o diretor da galeria Eduardo Saretta.

Aposto que, depois de assistir ao vídeo, os lambe-lambes passaram a ter valor sentimental para você. Depois de perceber o amor com que são feitos, a paixão que é dosada em sua produção, e da história de vida de seus produtores, não há como não olhar pra um deles agora e não dar um pequeno sorriso.

Em um mundo aonde as coisas são tratadas com indiferença, aonde gráficas gigantes e mecanizadas produzem milhões de peças por dia, existem três caras que amam o que fazem, que passaram a vida inteira se dedicando a isso, e que “sentem a dor” da máquina quando ela tem um problema. Não precisamos todos fazer isso, mas dá um gostinho a mais na profissão ver outras pessoas que também gostam de artes gráficas a esse ponto.

Para quem acha que isso não teve nada a ver com Design de Livros, sugiro apreciarem a capa do ótimo volume e referência “Pensar com tipos”, de Ellen Lupton. São quatro tipos de capa, todas impressas em impressoras de lambe-lambe. Uma ótima idéia, com um acabamento alternativo e bonito. Confira terechos dele aqui.

pensar_com_tipos

Créditos: Mural CDesign

Em tempo: Caso você também aprecie essa arte neglicenciada, recomendo uma noite no bar Exquisito!. Lá, além do ambiente diferente e da comida boa, é possível ver paredes forradas dos mais diversos lambe-lambes, das mais diversas épocas, além de cartazes antigos do nosso cinema nacional.

A dica do vídeo que inspirou esse post é do Rodrigo Bruno.

 
14 Comentários

Publicado por em abril 22, 2009 em história, referências, tipografia

 

Tags: , , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: