RSS

Arquivo da tag: designer

O Ciclo de Vida de um Livro

O Ciclo de Vida de um Livro

Confira esse interessante infográfico para aprender direitinho qual é o ciclo de vida de um livro, do Autor à Distribuição.

Ciclo do livro

Clique para ampliar

Publishing Trendsetter, o site com notícias e dicas para uma nova geração de editores, tem este ótimo infográfico explicando em pormenor o processo de criação de um livro.

O visual é uma parte da seção rt of Life Cycle of a Book, onde você pode assistir a entrevistas com todos os participantes do processo, incluindo o autor, editor, designer e distribuidor.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em dezembro 5, 2011 em o livro

 

Tags: , , , , , , , , , , ,

Content is the king: aprendendo com webdesigners

Pode confessar: eu sei que você tem um pouco de preconceito daquele seu primo que é webdesigner. Você, como designer gráfico ou designer de livros, se acha muito mais designer por ter que pensar em coisas mais “artísticas”, em papéis, acabamentos, tintas, tons, etc. É muito mais tradicional, muito mais puro, muito mais clássico. Pouco interessa quem é o autor do texto que irá caber nas páginas perfeitas que você irá moldar. O que importa é a arte, o cheiro, o ambiente, tudo, menos o conteúdo.

Só que agora você está olhando arregalado para o trem que vem vindo em sua direção, o livro eletrônico. Ele ainda não assusta tanto assim, mas as pessoas têm falado dele mais do que você gostaria. E, de repente, a cadeira em que você está sentado parece um pouco desconfortável. O desconhecido assusta todo mundo, e você não sabe bem o que é um livro eletrônico e nem como ele é produzido. Como assim um mesmo arquivo de livro tem que caber em uma tela colorida de toque com 3 polegadas e em uma preta e branca, fosca, de 6 polegadas? Não existe rodapé? Podemos aumentar e diminuir o tamanho da fonte? Não tenho que me preocupar mais com viúvas? Que mundo é esse?

Se você trabalha com o inDesign, deve saber que um dos recursos dele é o “Export to Digital Editions”. E sabe o que ele faz? Ele transforma o texto que você acabou de diagramar em uma página de internet, um arquivo em HTML. Códigos e tags se misturam, e o arquivo ficou uma porcaria, nada parecido com o que você acabou de fazer. Sim, o arquivo gerado não estava adequado ao seu navegador ou ao aplicativo especial da Adobe para ler eBooks. Como é?

Imprimir um livro é, vendo desse aspecto, relativamente simples. Ele é retangular, costuma caber sem problemas em um variado tipo de mãos. Mulheres, crianças, adultos, engenheiras, donos de casa, motoristas, etc. E quando o livro é muito grande ou muito pesado, basta mantê-lo sobre uma mesa e não levar na bolsa. Já um arquivo de livro eletrônico deve ser pensado e feito levando em consideração uma série de plataformas. Desde o navegador, passando por aplicativos para computadores como aparelhos diversos como iPod, Kindles, Cool-ERs, iPads e uma série de outros que você nem conhece ou que ainda nem existem.

O desafio do ePub, formato de arquivo que está se firmando como o padrão mundial em livros eletrônicos, é produzir um arquivo que consiga ser aberto e manipulado de forma fácil e funcional em uma série de lugares. O acesso a seus recursos deverá ser rápido e simples, significando que o designer deverá realizar uma inversão na ordem do seu pensamento e da sua organização de prioridades porque, dessa vez, o CONTEÚDO É REI.

Essa é uma lição que bons webdesigners sabem há muito mais tempo do que eu e você. Para termos um bom arquivo em ePub pouco importará a cor do fundo, os grafismos no final da página, as aberturas de capítulos ou os símbolos usados embaixo dos números da página. Se você não prestar atenção e não indexar corretamente todos os títulos e subtítulos, o livro eletrônico já não terá uma de suas melhores funções funcionando, o sumário.

Ou seja, é como mandar o designer não pensar no design do livro. É maluco, mas só será assim se você não enxergar que funcionalidade, usabilidade e praticidade são formas de design. Eu caminho no meio de dois mundos, já que sou designer de interfaces por formação e deisnger de livros por paixão, e acho que posso me adaptar a isso muito mais facilmente.

Em um livro, o importante sempre foi sua beleza. Imagens, fonte, diagramação, arte. Um designer realizado é aquele que olha pro seu livro feito e vê beleza nele, em suas cores, impressão, imagens, formato, olhar. O que deve ser incorporado ao designer gráfico agora é a priorização da funcionalidade. Não importa se o livro é só texto preto no fundo branco, sem a menor possibilidade de edição de fonte ou versalete. Sua beleza e o bom serviço do designer residirão no sucesso de abertura em todos os aparelhos, no tamanho reduzido do arquivo e da ausência de problemas.

Quando pensamos em um bom site, o sucesso é exatamente pelos mesmos termos. Se os usuários não reclamaram, se conseguiram alcançar seus objetivos no site, é porque ele está bom. O resto, a arte e outras preocupações, vêm depois, bem depois. E se quando o arquivo for aberto os acentos estiverem trocados, o sumário não funcionar e as fontes não aumentarem, isso significará que você falhou, mesmo com belas imagens, uma capa linda e enfeitezinhos fofos no começo do capítulo.

É cruel, mas ninguém falou que seria fácil. E pra complicar mais ainda a vida você já sabe: vai ter que aprender a mexer em HTML e CSS. Quiçá em Javascript. Pé-de-pato-mangalô-três-vezes, mas é verdade. O deisnger bom, aquele que daqui a algum tempo terá mais oportunidades, será aquele que sabe caminhar entre os dois mundos, e que poderá facilitar a vida do produtor editorial, gastar menos dinheiro da editora e entregar DOIS trabalhos bem feitos. E lembre-se de sempre levar esses dois produtos juntos. Apesar de serem coisas totalmente diferentes, eles devem ser produzidos e planejados em conjunto, e não um após o outro.

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

A internet como ferramenta de exposição pessoal

Hoje em dia, você não é nada se ninguém te conhecer. Sim, às vezes temos que ser um pouco chatos e insistir para que conheçam o que fazemos e quem somos, para que lembrem da gente um dia desses. Popularmente, isso é conhecido como networking, o ato de ir atrás e fazer contatos para fins profissionais.

Pessoalmente, eu não gosto muito disso, e confesso não ter paciência para ir em festas só para conhecer pessoas que talvez não tenham uma conversa que eu gosto. Prefiro ir apenas a eventos que me agradam. Se você é que nem eu, e também é tímido e acha que está perdido no mundo, então você precisa encontrar outros métodos para se promover e mostrar seus talentos a todos. Afinal de contas, não é impossível que uma empresa acabe promovendo seu serviço por sua qualidade, mas isso não é muito comum. Quanto mais você conseguir mostrar ao maior número possível de pessoas como é seu trabalho, mais fácil será alguém lembrar de você na hora de chamar alguém para um novo serviço, freela ou até emprego.

Abaixo, sugiro alguns sites para que, em plena era digital, você possa se promover utilizando a grande rede. Nada mais fácil, contanto que você não se esqueça do bom senso.



linked
Um orkut para profissionais
http://www.linkedin.com
O LinkedIn pode parecer o orkut em sua descrição, mas é totalmente voltado para profissionais. No LinkedIn você encontra pessoas que falam sobre sua carreira, seu emprego, suas habilidades profissionais e que divulgam seus portfolios, sites e trabalhos. Nele, é possível adicionar contatos profissionais ou de faculdade, recomendar pessoas e pedir para ser apresentado a alguém que pode ser interessante a você. Indispensável ter um perfil lá.



plaxo
Uma agenda online
http://www.plaxo.com
Ainda no estilo orkut, porém mais útil, o Plaxo permite que você preencha seu perfil e compartilhe com quem mais possuir conta no site. O grande trunfo do Plaxo é que ele funciona mais como agenda do que como rede social, já que você pode adicionar todos os contatos que quiser, tendo eles o Plaxo ou não. Para quem não tem, você pode enviar um email pedindo que a pessoa atualize seus dados (são dados reais, como telefone, endereço e contato profissional), e para quem tem, basta estar conectado com a pessoa, que cada vez que ela modificar os contatos dela, você ficará atualizado. Além desse serviço legal, o Plaxo possui um plugin que atualiza também sua agenda do computador, que por sua vez pode ser sincronizada com a agenda do celular. Assim, você tem sempre os contatos mais recentes sempre à sua disposição. Ah, e o Plaxo também avisa por email (e adiciona na agenda do seu celular) uma semana antes todos os aniversariantes cadastrados. É uma mão na roda para organizar seus contatos e se mostrar super organizado e atento aos seus conhecidos.



deviant1
Um portfolio artístico
http://www.deviantart.com
Se, além de suas habilidades de designer, você também possui uma mão boa para ilustrações, pinturas, fotos ou outros trabalhos artísticos, o Deviantart é o local ideal para expor seus trabalhos, uma vez que funciona como uma comunidade de artistas com o objetivo de mostrar seus trabalhos. Ter uma conta no Deviantart já é um pressuposto de que você faz coisas legais. Lé estão expostos muitos trabalhos de qualidade, e os cadastrados tem o costume de comentar no perfil dos colegas. A parte especial do Deviantart é que, além de expor seus trabalhos, você também pode colocar um preço neles, e vendê-los pela Internet.



design-related
Reunindo designers
http://www.designrelated.com
Se você quer um espaço aonde possa conversar com colegas de profissão, trocar contatos, idéias e mostrar seu trabalho, o Design:related é o que você procurava. Com um visual clean e bem planejado (queria o quê de uma comunidade de designers?), você se cadastra e pode informar os locais aonde já trabalhou e o que fez de mais importante neles. Além disso, pode ter um portfolio público, e também adicionar sites, revistas, trabalhos e outras referências que te ajudam a criar. Lá você encontra designers, diretores de arte, criadores e todo tipo de gente ligado à área. Vale ter um perfil lá para fazer contato com gente específica.



coroflot
O portfolio
http://www.coroflot.com
Você pode perguntar para qualquer designer que esteja sempre de olho no mundo virtual, que todos vão dizer que possuem um perfil no Coroflot. Esse site é ideal para apresentar seus trabalhos profissionais, procurar jobs (em sua maioria internacionais) e conhecer o trabalho de outros profissionais, e até encontrar alguma inspiração. Confira também o FigDig e o Cabonmade (pago).



flickr
Fotos bem apresentadas
http://www.flickr.com
Se você já passou da época do Fotolog, aonde tinha que esperar até de madrugada para poder subir suas fotos, está na hora de conhecer o Flickr. Visual bonito, que privilegia a foto e não o resto, esse site possui cadastro gratuito e permite o envio de até 200 fotos. É mais do que o suficiente para mostrar quem você é  e divulgar seu lado artístico mais fotográfico, apresentar lugares para onde viajou, etc. O Flickr não gosta muito que os usuários postem imagens com seus portfolios de sites, folhetos e outras peças, por isso evite fazê-lo. Utilize o Flickr para mostrar seu lado pessoal, que importa bastante para as empresas hoje em dia.



wordpress
Um blog para todos
http://www.wordpress.com
Não, o WordPress não é nenhum site social de comunidades. Se você o visitar, verá que é um dos melhores hospedeiros de blog da Internet. O melhor de tudo: é gratuito. Mas o que fazer com um blog? Oras, sua imaginação é quem vai mandar! Escreva sobre algo de que você entenda, ou de algo que pretende descobrir, e publique seus achados no blog. Podem ser opiniões, coisas interessantes encontradas em outros sites (sem nunca esquecer o crédito, claro) e até devaneios. O que importa é que o blog deve refletir sua personalidade, seus interesses e sua capacidade de escrever bem e legal.

Seu site
Além de todos esses sites recomendados, nada mostrará mais o que você é senão seu próprio site. Se você entende do negócio, poderá fazer seu site com a sua cara, do seu jeito. Se não entende, poderá contratar alguém (todos os tipos de designer merecem serviço! Deixe alguém que sabe fazer o serviço) que fará ao seu gosto. Para a hospedagem, recomendo o Dreamhost, que é internacional, confiável e barato. Porém, é necessário possuir cartão de crédito internacional para fazer o pagamento. O domínio pode ser comprado em sites de grande porte, como o GoDaddy ou o brasileiro Locaweb.

Cautela, educação e cultura
Não adianta nada você entrar nos sites sugeridos e criar um perfil em todos eles, e não atentar para o conteúdo. É necessário que as pessoas que os visitem tenham o que ver, o que ler, e gostar disso. Utilizar gírias, xingamentos e escrever errado são os pecados dos pecados. Faz com que todas essas ferramentas, ao invés de ajudar, estraguem de vez sua reputação. Procure estar sempre bem informado a respeito das últimas notícias, História, Internet, etc., e tenha o que dizer! Boa sorte.

 
1 comentário

Publicado por em março 30, 2009 em mercado de trabalho, referências, sites

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: