RSS

Arquivo da tag: books

O Ciclo de Vida de um Livro

O Ciclo de Vida de um Livro

Confira esse interessante infográfico para aprender direitinho qual é o ciclo de vida de um livro, do Autor à Distribuição.

Ciclo do livro

Clique para ampliar

Publishing Trendsetter, o site com notícias e dicas para uma nova geração de editores, tem este ótimo infográfico explicando em pormenor o processo de criação de um livro.

O visual é uma parte da seção rt of Life Cycle of a Book, onde você pode assistir a entrevistas com todos os participantes do processo, incluindo o autor, editor, designer e distribuidor.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em dezembro 5, 2011 em o livro

 

Tags: , , , , , , , , , , ,

Estante eletrônica facilita coleção de livros

ANA PAULA PASCOALETTO

Do Rudge Ramos Jornal*

Estante eletrônica facilita coleção de livros
Um dos primeiros e-readers a chegar ao Brasil foi o Kindle, da Amazon
Foto: Ana Paula Pascoaletto/RRJ

Mil trezentos e trinta e três. Esse é o número de livros que o consultor de TI (tecnologia da informação) Yuri Sá, 28, tem em sua biblioteca virtual. Ele começou sua coleção quando entrou na faculdade de engenharia, em 2001.

Yuri, que sempre gostou de ler, se desfez de uma coleção de mais de mil livros impressos, para ter tudo em e-books. Ele só guardou os títulos que tinham algum significado especial.

Naquela época, ainda não existiam tablets e smartphones. Esse tipo de plataforma de leitura começou a ganhar mais espaço no país somente em 2009, com a chegada do e-reader da Amazon, o Kindle.

Um e-reader tem algumas diferenças em relação a um tablet, como o iPad. O primeiro é, essencialmente, um dispositivo para armazenar e consumir e-books (versões digitalizadas de livros). O tablet é um computador. Tem todas as funções de um PC ou notebook, só que em versão menor e em formato de “prancheta”.

Além de executar tudo o que um computador maior faz, os tablets têm garantido espaço para o mercado de e-books, pois a leitura em tela colorida, coisa que o e-reader da Amazon não possui, se torna mais prática.

Antes do lançamento do Kindle no Brasil, Yuri digitalizava trechos dos seus livros de cálculo da faculdade de engenharia e os armazenava em um Palm M100, a tecnologia disponível 10 anos atrás. “Desde então venho trabalhando com e-books. Eu sempre gostei muito de ler, inclusive por viajar e estudar fora, mas era muito ruim carregar os livros. Já cheguei a viajar sem nada para ler só porque não tinha como carregar.”

Em 2004, com a chegada dos smartphones, ele trocou o Palm pelo aparelho telefônico. Em 2009, Yuri adquiriu um Kindle, mas não se adaptou bem ao aparelho. “O Kindle é muito limitado, ele não faz mais coisas além de ler livro. Então, me desfiz do meu notebook só para poder comprar um iPad”, contou.

Yuri acredita tanto no potencial dos e-books, que fundou uma editora digital, a Sa2. Criada em julho de 2010 e idealizada por seu pai, Lucas Roberto de Sá, a editora tem como público alvo os acadêmicos. Uma de suas missões é não fazer nada de papel, até mesmo os contratos são assinados virtualmente.

Apesar de ser um mercado emergente, ainda não existem muitas pessoas como esse consultor de TI, que há mais de um ano não compra livros impressos.  De acordo com o coordenador da equipe de e-books da Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo, Mauro Widman, ainda vai demorar para que os livros impressos percam espaço. “A procura por livros digitais está grande, a cada dois meses os nossos números de vendas praticamente dobram, mas em relação ao faturamento global da empresa ainda não é muito significativo, pois não chega a 1% do total.”

Outro exemplo de que o mercado de livros digitais ainda é pequeno no Brasil é o número de publicações disponíveis para compra. Na livrara Saraiva, por exemplo, estão disponíveis cerca de 200 mil títulos estrangeiros, enquanto apenas 2.500 são nacionais. O diretor de produtos digitais da Saraiva, Deric Degasperi Guilhen, também não acredita que o mercado editorial será dominado pelos e-books. “Apesar disso, o mercado de e-books é um futuro certo. Isso significa dizer que sua representatividade econômica continuará crescendo por um bom tempo.”

No Brasil, são vendidos em média 300 milhões de exemplares de livros impressos anualmente (pesquisa Fipe-Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, de 2009), o que mostra que muitos leitores ainda não conseguiram abandonar por completo essas edições. A designer de livros Stella Rodrigues, 25, tem pouco mais de 300 livros digitais, mas ainda prefere o papel. “Não há nada que substitua o cheiro
do papel ou o peso do livro. No ônibus também é mais seguro. Eu acho bem difícil tirar o Kindle da bolsa e ler normalmente.”

Em questão de segurança, poucas pessoas se sentem confortáveis para andar com seus e-readers e tablets pelas ruas, mas o objetivo do consumo de e-books é a praticidade. Sobre valores, as edições vendidas em livrarias nacionais ainda têm o preço um pouco alto, o que vai contra outro princípio das edições digitais, que é a economia. Stella, por exemplo, adquiriu um Kindle porque sente necessidade de trocar o livro de papel pela versão digital. “Às vezes troco porque eu não tenho acesso ao livro, porque ele é antigo ou difícil de achar, ou simplesmente porque o papel é muito caro”, concluiu.

* Notícia originalmente publicada no Rudge Ramos online.

 
2 Comentários

Publicado por em agosto 25, 2011 em eventos, gente, livro eletrônico (ebook)

 

Tags: , , , , , , , , , , , ,

Simplíssimo Livros divulga grade de cursos para o segundo semestre de 2011 e traz novidades

Além do workshop sobre ePub e da palestra de introdução ao mercado do livro digital, a empresa lança mais três novos cursos nas principais cidades brasileiras

A Simplíssimo Livros, uma das principais empresas de produção de livros digitais no Brasil, já ministra cursos na área desde o início de 2010 em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. Agora, com a programação reformulada, a empresa adiciona três novos cursos e novas cidades atendidas nesse segundo semestre de 2011.

Atualmente, a Simplíssimo ministrava apenas os cursos “Workshop Como Produzir E-books no Formato ePub” e “Entenda o Livro Digital e seu Mercado”. Agora, até o final do ano, devem ministrar algumas turmas novas com os cursos “Produzindo capas para livros digitais”, “Produzindo e-books em ePub com software livre” e “Curso Avançado de ePub”.

A empresa já treinou profissionais, entre freelances, escritórios e equipes de editoras – Saraiva, Positivo, Cia das Letras, Zahar, Sextante, Rocco, Objetiva, Intrínseca, Paulinas, Mundo Cristão, Artmed, Record, SESC SP, SENAC SP, entre outras. Os workshops de padrão profissional da Simplíssimo são a oportunidade para os profissionais e estudantes do mercado editorial, além de designers e demais interessados, aprofundarem pela prática seus conhecimentos sobre esta nova realidade profissional, o livro digital em formato ePub.

Após treinar mais de 300 pessoas por todo o Brasil, Fernando Tavares, fundador e diretor de operações da Simplíssimo, decidiu montar a grade de um curso avançado sobre o formato ePub. “O curso foi pensado para quem busca mais interatividade, beleza e personalização nos e-books de modo fácil, acessível e imediato. O formato ePub oferece isto. Podemos estar um passo a frente conhecendo o que de melhor este formato tem a oferecer hoje e no futuro imediato.”, explica ele.

Já para aqueles que querem entrar no mercado de livros digitais mas não possuem grande budget em sua empresa, ou é um autor independente, surgiu a ideia de ministrar um curso sobre produção de ePubs utilizando apenas softwares livres.

E como não só de programação vive o produtor de e-books, Stella Dauer, designer e e-book evangelist da Simplíssimo, montou um curso de curtíssima duração apenas para se aprofundar na capas desse produto. “É muito importante salientar que e-books devem ter capas diferentes daquelas encontradas em livros impressos, pois serão vendidos em locais diferentes”, afirma.

Além dos novos cursos, uma outra novidade é a abertura de turmas em outras cidades brasileiras. “Muitas pessoas de Minas Gerais, Brasília e Rio Grande do Sul nos questionavam sobre cursos nas capitais desses estados, então estamos fazendo um teste e conferindo a demanda em outras cidades”, explica Eduardo Melo, diretor da Simplíssimo. Devido a isso, há agora a opção de pré-inscrição em Porto Alegre e Belo Horizonte. Outras cidades podem ser abrangidas ao longo do ano.

Curso Avançado de ePub

Já treinamos mais de 300 profissionais na produção profissional de e-books em ePub – e este número segue aumentando, mês a mês. Fazer e-books em ePub até já está se tornando algo comum! Se você já dominou o “basicão”, chegou a hora de se diferenciar profissionalmente e alçar vôos mais altos com o formato ePub. O Curso Avançado da Simplíssimo irá capacitar você a explorar profundamente os recursos do ePub e também do ePub 3.

Produzindo capas para livros digitais

A capa é um elemento indispensável dos livros impressos. Com os livros digitais, isso não é diferente, a capa continua cumprindo sua função. Aqui na Simplíssimo, porém, nós percebemos que nem sempre a capa de um livro impresso, funciona bem no livro digital.

Trazemos este novo curso, para ajudar os profissionais e interessados a pensar e planejar a capa de livros digitais. Contextualizamos as principais diferenças, peculiaridades e especificações necessárias para você criar capas de alta qualidade para seus e-books.

Produzindo e-books em ePub com software livre

É possível produzir e-books em ePub de alta qualidade, sem precisar recorrer a softwares caros como o InDesign. O novo curso da Simplíssimo mostra um caminho pouco explorado por autores, editoras e designers, na hora de criarem seus e-books. Vamos mostrar a você como usar software livre e open source, para a produção profissional de e-books no formato ePub.

É uma ótima oportunidade para conhecer e usar, na prática, as melhores técnicas e ferramentas disponíveis para produzir e-books. Você recebe um material completo, com 2 CD’s contendo apostila, slides, os softwares usados no curso e outros recursos.

Entenda o Livro Digital e seu Mercado

Com o desenvolvimento do mercado de livros digitais no Brasil, é preciso compreender o que são os e-books, como funciona esse mercado, quais as oportunidades concretas. Como é tudo muito novo, as dúvidas são muitas, e as respostas, difíceis de encontrar. Neste curso abordamos os principais temas que (ainda) afligem quem está pensando em livro digital: como o mercado funciona, quais seus números no mundo e no Brasil, as estratégias adotadas pelas principais empresas do mercado e diversos exemplos de modelos de negócio já aplicados para os livros digitais.

Workshop Como Produzir E-books no Formato ePub

Aulas 100% práticas! O curso tem por objetivo transmitir as melhores técnicas atualmente utilizadas para produção profissional do formato ePub, além de dicas e truques de como otimizar a produção de e-books. O método de trabalho é pratico, típico do laboratório.

Os cursos também são ministrados no formato in company. Datas, locais e mais informações podem ser encontradas no link: http://www.simplissimo.com.br/cursos-treinamentos-livro-digital-e-books/

Sobre a Simplíssimo Livros

A Simplíssimo Livros atua no mercado de livros digitais desde 2010, especializado em produção de ePubs e publicação de autores independentes. Atualmente ministram cursos de especialização na área e trabalham junto às maiores editoras do país.

Sediada em Porto Alegre (RS), a Simplíssimo Livros é uma startup e conta com uma equipe fixa e diversos colaboradores espalhados pelo Brasil para atender à demanda de produção de livros digitais com qualidade e preços justos. Mais informações em www.simplissimo.com.br.

 
2 Comentários

Publicado por em agosto 12, 2011 em eventos, livro eletrônico (ebook)

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Como os livros eram feitos em 1947

Um procedimento incrível, que exigia muita organização e atenção. Reclamamos hoje em dia da dificuldade de alguns processos, quando nessa época era muito pior!

Reparem também em que parte do processo fica o diagramador. Nada do conforto da cadeira na editora ou em casa, como freelancer. Era mão na graxa! De pé, montando as linhas do livro no linotipo. Sujando e endurecendo a mão, pra deixar tudo bonitinho. E não tinha muita frescura de diminuir espaçamento, kernel, etc… é muito interessante notar as diferenças daquela época para hoje.

Aproveitem:

 
3 Comentários

Publicado por em julho 18, 2011 em design do livro, o livro

 

Tags: , , , , , , , , , ,

Curso: Entenda o Livro Digital

No dia 22 de Junho dei o curso Entenda o Livro Digital juntamente com o Eduardo Melo, sócio da Simplíssimo.

Tivemos participação de mais de 23 pessoas, e passamos um dia inteiro falando sobre todos os aspectos essenciais para que um interessado possa se iniciar no mundo do Livro Digital. Enquanto eu passei a manhã falando sobre os aspectos técnicos, o Eduardo usou a tarde para aprofundar os espectadores na área comercial do Livro Digital, um assunto que muitos traziam dúvidas.

Foi uma ótima experiência, e esperamos reunir mais interessados em breve para realizarmos mais uma vez esse curso.

Compartilho com vocês a apresentação do dia:

 
4 Comentários

Publicado por em junho 25, 2011 em eventos, ponto de vista

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Infográfico Livro vs. eBooks

Está em Inglês mas recomendo a leitura, é bem explicativo. Traz dados dos dois mercados, comparando um com  outro. Vemos que ainda existem vantagens no mercado editorial físico, mas talvez isso não dure muito.

 

Tags: , , , , , , , , , , ,

O que é um livro?

985125_15406171

No último post falamos de um pequeno resumo da hisória do livro, mas o que é um livro em si? Será apenas sua definição técnica, um agrupamento de folhas com uma capa, recheado de informações? Ou terá também sua explicação conotativa, como um transporte para mundos diferentes, o caminho para uma vida mais sábia? Vamos discorrer um pouco sobre isso.

De acordo com o dicionário Houaiss, um livro é uma “coleção de folhas de papel, impressas ou não, cortadas, dobradas e reunidas em cadernos cujos dorsos são unidos por meio de cola, costura, etc., formando um volume que se recobre com capa resistente”.

Na popular Wikipédia, um livro é “um volume transportável, composto por páginas encadernadas, contendo texto manuscrito ou impresso e/ou imagens e que forma uma publicação unitária (ou foi concebido como tal) ou a parte principal de um trabalho literário, científico ou outro”. A UNESCO, em uma conferência realizada em 1950, diz que um livro deve ser uma publicação não-periódica literária contendo mais de 48 páginas, sem contar as capas. Uma explicação muito bizarra pro meu gosto, mas serviam para fins tributários e legais.

Agora, pergunte para uma criança que acabou de aprender a ler e pegou em suas mãos um livro de contos para ler, e mergulhou em um novo mundo de fantasia. Ou então pergunte para um analfabeto que segura um livro que ensina as letras o que é aquele amontoado de papel ecadernado para ele. Uma neta que tem guardado o antigo e precioso livro de receitas de sua avó já falecida, única lembrança física que tem dela, contendo a maravilhosa receita do biscoito que ela comia quando era criança, vai achar esse conjunto de papéis dobrados e encadernados com cola muito mais do que um produto.

Qual será o valor de um compẽndio médico para um residente em medicina? E o que, além de tinta e palavras, contém em uma Bíblia para um fervoroso cristão? E a própria História, não existiria de forma tão precisa como a conhecemos hoje se nao fosse a preservação dos livros que trazem as datas, os acontecimentos e as vidas de pessoas em suas páginas. Um livro evita que uma pessoa se esqueça e também que caia no esquecimento. Evita (ou tenta evitar) que erros sejam cometidos novamente.

Até para nós, Designers de livros, esses obejtos possuem um valor muito maior do que o denominado pelos termos técnicos. O resultado de nossos trabalhos é o livro, esse mesmo que encanta e informa outras pessoas. É o que traz nosso sustento, é o que nos orgulha quando está pronto, é o que gera muitos empregos além do nosso. É o que traz reconhecimento ao autor, é o que salva vidas, é o que tira pessoas da ignorância.

Caramba, o livro é muito mais do que um limite mínimo de 48 páginas para existir e ser tributado. Quem mandou queimar os livros na época de nazistas, apesar de violento, é um dos que realmente sabia o que é um livro, compreendia e temia seu valor. Até mesmo a internet, tão comemorada como transmissora de informação a todo o mundo, não existiria sem o livro. É impossível imaginar o mundo sem livros.

Eu compartilhei meus pensamentos com vocês. O que é um livro para vocês?

 
15 Comentários

Publicado por em julho 27, 2009 em o livro, ponto de vista

 

Tags: , , , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: