RSS

Arquivo da categoria: capas

Dicas rápidas para a produção de capas

Ultimamente tenho trabalhado muito com capas para as editoras Simplíssimo e Novo Século.

E como tive que produzir muitas capas, acompanhei um rápido workshop no site Lynda.com sobre a produção dessa parte tão importante do livro. O curso em si não adicionou muito em matéria de técnica, mas ensinou um workflow que me pareceu ideal. Vamos falar dele aqui, e eu complemento com algumas dicas para a produção de capas de eBooks.

1. Faça um mapa mental

Uma tática que poucos utilizam. Você pode fazer manualmente ou contar com algum software ou site que produza mapas mentais (os chamados mind maps). É sempre útil e ajuda a colocar suas ideias no lugar logo de início. Pegue o briefing e vá escrevendo tudo o que vier à mente, ligando os balões quando algo puder ser unido em “times”. Se você tiver que fazer uma capa sobre uma fábrica de carros, por exemplo, pode colocar palavras como “trabalhador”, “chão de fábrica”, “Henry Ford”, “carro”, “pneus”, “lataria”, “cromado”, e por aí vai… isso vai ajudar a te dar direcionamento.

2. Pesquise

Todo bom designer que se preze faz pesquisa visual ou conceitual antes de começar algum trabalho. O livro é sobre vida marinha? Então procure referências, junte imagens, fotos, ilustrações, capas de outras publicações no mesmo estilo, etc. Procure desse jeito:

  • Em livrarias ou sebos. Tire fotos ou anote o nome dos livros cujas capas podem ser úteis para pesquisa visual;
  • É uma reedição? Uma publicação gringa? Pesquise outras capas do mesmo título (veja que interessante aqui);
  • Busque em sites de imagens (iStock Photos, SXC.hu, Flickr) imagens que inspirem, que tenham o mesmo assunto;
  • Dê uma olhada em sites que discorrem sobre capas (aqui, aqui, aqui e aqui);
  • Pesquise em catálogos de editoras ou em livros específicos sobre o assunto (como esse, esse e esse).

3. Rascunhe

Largue o mouse ou a tablet nesse momento. Pegue aqueles objetos estranhos com os quais você não convive chamados papel e lápis e comece a desenhar um pouco. Rascunhe tudo o que vier à cabeça. Às vezes você descobre um layout que não descobriria fazendo tudo direto no computador ou percebe que um layout que levaria 3 horas para ficar pronto não “ornaria” corretamente só de desenhar no papel. Fique perto do resultado da sua pesquisa e se inspire!

4. Monte o arquivo no seu software preferido

Tanto faz se é no Photoshop, no InDesign, no Illustrator, no Paint ou no Quark (eca). Agora é a hora de você colocar tudo o que imaginou e rascunhou no computador. Teste as imagens que você pegou, coloque alguns inícios de ilustras, teste fontes, tamanhos e diagramações.

5. Quatro jeitos de fazer uma capa

Pode variar, mas basicamente encontramos nas livrarias, lojas e sebos esses tipos de capas a seguir:

  • Big Book Look – Grandes letras e pequenas imagens ou ícones;
  • Tipográfico – Onde as letras são prioridade e dão a cara da capa;
  • Abstrato – O céu é o limite. Imagens desfocadas, várias camadas no Phtoshop…;
  • Ilustração – Fotos, ilustrações e qualquer outra imagem que sejam o astro da capa.

Muda alguma coisa quando o assunto são os eBooks?

Ah, sim, muda. Quando falamos em eBooks temos que lembrar alguns itens importantes:

  • Não há lombada, contracapa e nem orelha;
  • Você não pode contar com acabamentos (verniz, hot stamping) para dar aquele “up” na coisa;
  • O eBook será visto em uma pequenina prateleira virtual em muitos sites e aplicativos.
  • No mundo digital a questão de “compatibilidade” é muito importante. Sua capa poderá ser visualizada em vários dispositivos, sejam eles iPads, eReaders, computadores e até celulares. Sua capa é boa para todos esses meios?

Por isso, pensar em capas para eBooks pode até seguir os mesmos passos que eu citei acima, mas é sempre bom levar em consideração essas dicas:

  • Use uma fonte em tamanho grande e de leitura agradável, já que a capa será minúscula no site ou aplicativos;
  • Lembre-se que algumas plataformas possuem tela em preto-e-branco;
  • Priorize o título e o autor (quando possível);
  • Cuidado com o fundo, a imagem ou a ilustração. Se ficar muito poluído, ninguém enxerga nada.

Veja alguns exemplos de capas para eBooks:

Aproveite essas dicas e trabalhe para termos produtos cada vez mais bonitos nas prateleiras, sejam elas físicas ou virtuais!

Anúncios
 
14 Comentários

Publicado por em abril 5, 2011 em capas, design do livro, editoração

 

Tags: , , , , , , , , ,

Site da semana: Galeria de P-E Fronning

Basear-se no passado é um modo de não repetir erros. E também de encontrar “novas” referências. No Flickr de P-E Fronning é possível encontrar centenas de capas de livros e ilustrações que ele escaneou. Cuidado, existem fotos pessoais do autor pelo meio dos livros. 😉

Confira o site nesse link.

 
Deixe um comentário

Publicado por em março 28, 2010 em capas, sites

 

Tags: , , , , ,

Quer diagramar só livros novos? Ou inovar livros antigos?

Ah, a criatividade.

Ela aflora em todo designer, mais cedo ou mais tarde em um projeto. Leve segundos, minutos ou dias, é sempre uma das melhores partes do nosso serviço ter a ideia, pensar algo novo, algo nunca visto, algo que encha os olhos.

O designer está lá, totalmente empolgado esperando o próximo livro, o próximo novo projeto. Ideias novas surgirao, uma capa que vai chamar o leitor pra comprar o próximo best seller das livrarias, e… Machado de Assis? Como assim Brás Cubas? De novo? Esse livro que todo mundo já cansou de diagramar, rediagramar, fazer capas e até de comprar? Eca! Sai de mim! Passa pro estagiário!

Tsc tsc. Existe uma historinha que se conta por aí, sobre um vendedor que foi chamado para vender sapatos na África. Ao chegar lá, o vendedor se depara com milhares de pessoas descalças. Ele liga pro chefe: não poderei vender sapatos aqui, todos andam descalços! O chefe então envia um novo vendedor ao local. Esse, maravilhado, liga pro chefe: envie milhares de sapatos! Ninguém usa sapato aqui, vamos vender aos montes!

Machado de Assis, Fernando Pessoa, Eça de Queirós. Aqueles livrinhos que caem no vestibular da Fuvest todos os anos. Quem quer comprar aquilo? Quem ainda não leu essas obras? Muitos de nós colocam na cabeça que livros assim não valem nem entrar no portfolio depois. Compra do banco de imagens uma figura de um quadro brasileiro da época da obra, tasca um título em Arial na frente e vamos pro próximo projeto.

Temos a mania de pensar que livros velhos são velharias, são coisas que se compram nos sebos. Não vale a pena investir em algo que todos já conhecem, que todos já têm. Isso não procede! Peguem como exemplo os livros de Julio Verne, redesenhados por um cara que estava se formando em uma universidade de artes (falei sobre ele aqui). Em uma faculdade de artes, onde se deseja inovação, onde as pessoas são avaliadas por isso, o que ele fez? Ele inventou uma obra nova, onde ele poderia brincar com a capa ao seu bel prazer? Não, ele enfrentou um desafio e pegou uma coleção “batida”, que 7 entre 10 casas de pessoas que lêem possuem. E você não teria vontade de comprar esses livros? Eu teria tenho.

Um pai caminha com seu filho pela livraria. Ele já tentou dar Julio Verne para seu filho ler, mas ele achou o livro velho, imaginou que seria uma história chata, sem as emoções e efeitos especiais que temos hoje, com bruxos, vampiros e anéis. Em um dos corredores, ele vê essa coleção de livros. Seus olhos brilham. Com aquelas capas, ele imagina as incríveis aventuras que devem conter lá dentro. Pronto, livros vendidos, objetivo alcançado.

Em um post publicado no site Digital Book World eles falam sobre como limitações podem ser úteis ao designer. Às vezes, quando temos opções demais, não temos nenhuma. Quando somos brifados e “podados”, muitos ficam amoados por não poderem exercer seu “lado criativo” ao máximo, mas é aí que está o maior desafio. Como fazer Macunaíma se tornar atraente para os jovens de hoje, sedentos por novidades? Como convencer um adulto a comprar de novo os livros que ele já têm em casa?

O post fala de uma série de livros do autor Vladimir Nabokov (do clássico Lolita), que tiveram de ser redenhados. Além de um novo título que entrava, alguns outros clássicos já presentes no catálogo da editora também seriam reformulados. Além de serem clássicos, mais um obstáculo criativo: todas as capas deveriam ser feitas em uma moldura de quadro funda, remetendo à paixão de Nabokov por colecionar borboletas nesses quadros. Os designer brincaram com papéis e fontes e o resultado ficou excelente.

Palavras de John Gall, o diretor de arte que passou o trabalho: “Eu pensei que utilizar designers diferentes seria uma maneira de manter as pessoas interessadas no que estaria vindo. As pessoas param de prestar atenção depois que novos livros são lançados. Eu quis que todos  fossem importantes. Muitos redesigns acabam ficando uns sobre os outros nas pratelerias e mal são notados.”

A bela série de capas de Vladimir Nabokov pode ser vista no The Book Cover Archive, também já resenhado aqui.

 
Deixe um comentário

Publicado por em março 18, 2010 em capas, design do livro, ponto de vista

 

Tags: , , , , , , , ,

Coleção Júlio Verne – Jim Tierney

O Deisgn de Livros. Muita gente reclama que é um trabalho chato, inglório, sem reconhecimento, velho e fadado ao fim. Mas quando se tem uma ótima ideia e consegue-se o alinhamento com autor e editora (tanto na arte como na verba) o resultado é de trazer lágrimas aos olhos.

O designer Jim Tierney transformou o velho e esquecido, uma coleção de livros do autor Júlio Verne, em um conjunto de livros que dá gosto manusear, ler e guardar na estante para ostentar aos conhecidos. No caso ele não precisou da negociação com a editora, já que é um trabalho de tese para sua graduação na University of Arts. Então sua criatividade não teve nenhum limite além dele próprio.

Confira o vídeo para captar os detalhes especiais (vale muito a pena. Não sei porquê, não consegui colocar o vídeo diretamente aqui):

Jules Verne cover designs by Jim Tierney from Jim Tierney on Vimeo.

Veja mais detalhes no site de Jim Tierney. Ele possui outras belas capas em seu portfólio.

Mesma e bela obra, duas capas diferentes. Qual delas você levaria para casa?

Ideia surrupiada do blog let’s blogar.

 
1 comentário

Publicado por em março 5, 2010 em capas, design do livro

 

Tags: , , , , , , , ,

Site da semana – The book cover archive

Está com preguiça de ir até a livraria mais próxima refrescar os olhos com boas referências de capas? Quer ver o que os outros países oferecem em matéria de capas? O site The book cover archive tem tudo isso que você procura.

Um repositório completo e muito bem organizado. É possível buscar por designer da capa, título, autor, diretor de arte, fotógrafo, ilustradores, gênero, entre outros assuntos. Uma busca interessante pela qual vale passar é a de tipos, que mostra inúmeras capas de livros que levam a mesma fonte em seu conteúdo. Ao clicar em uma capa o site traz uma ficha legal com informações sobre editora, designer, etc.

O site também dispõe de um blog que trata de assuntos gerais do mercado editorial e outras referências de design. No rodapé há dicas de outros sites que abordam as capas de livros como tema.

Uma exposição online completinha. Pra quê sair de casa?

Essa dica foi do @rseiji.

 
1 comentário

Publicado por em fevereiro 26, 2010 em capas, sites

 

Tags: , , , , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: