RSS

Como os livros eram feitos em 1947

18 jul

Um procedimento incrível, que exigia muita organização e atenção. Reclamamos hoje em dia da dificuldade de alguns processos, quando nessa época era muito pior!

Reparem também em que parte do processo fica o diagramador. Nada do conforto da cadeira na editora ou em casa, como freelancer. Era mão na graxa! De pé, montando as linhas do livro no linotipo. Sujando e endurecendo a mão, pra deixar tudo bonitinho. E não tinha muita frescura de diminuir espaçamento, kernel, etc… é muito interessante notar as diferenças daquela época para hoje.

Aproveitem:

Anúncios
 
3 Comentários

Publicado por em julho 18, 2011 em design do livro, o livro

 

Tags: , , , , , , , , , ,

3 Respostas para “Como os livros eram feitos em 1947

  1. Katia Souza

    julho 21, 2011 at 20:01

    Ainda bem que não passei por isso!!! Mas conheci de perto o past up, o fotolito, a prova de prelo, o abideque*… uau acho que estou me denunciando!!!
    Stella, concordo com você, hoje vivemos no paraiso. Somos felizes e as vezes esquecemos!
    A questão é: o diagramador é perfeccinista. Queremos fazer tudo muito perfeito e as vezes nem o kern nos satisfaz. Vamos lembrar que o bom é inimigo do ótimo!!
    Bjo
    Katia

    * Solução de tinta espessa de cor avermelhada e opaca. Utilizada para tapar falhas, preparar máscaras, fazer recortes, corrigir imperfeições em processo convencional da fotolitografia.
    Esclarecimento para os mais novinhos 🙂

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: